domingo, 7 de junho de 2015

A TERRA DE NINGUÉM


 
Livro de crónicas, de Santana-Maia Leonardo, apresentado no Club de Viseu.
O autor vive em Ponte de Sor, mas escolheu  Viseu para a apresentação, muito provavelmente porque é a cidade onde tem raízes familiares.
É uma “aventura”, como lhe chama o autor, que retrata fielmente os males de que a sociedade portuguesa sofre nos dias de hoje.
Tece duras críticas às políticas que têm sido seguidas nas áreas da educação, justiça, desenvolvimento regional e coesão do "território" nacional. Critica fortemente todas as formas de discriminação social e aponta os erros que têem conduzido à desertificação das regiões do interior [um acto claro de discriminação]. Mas não se trata de um juízo feito de modo gratuito. Pelo contrário, sempre procura dar sugestões para solucionar os problemas que identifica.

“Sinto-me, literalmente, o romeiro de Frei Luís de Sousa que, no final da sua longa caminhada constata que, afinal, o seu mundo já não existia (…) - confessa o autor no prefácio.
Uma agradabilíssima surpresa. E uma raridade pela coragem e desassombro com que fala de assuntos tão delicados e melindrosos.
Obrigado Santana-Maia!

A TERRA DE NINGUÉM
Sinapis editores
2015

Sem comentários:

Enviar um comentário