sábado, 5 de dezembro de 2015

rosas brancas


É terrível
o momento
em que o sorriso desce à terra

Rosas,
rosas brancas
saem de mãos incrédulas
voando
para as tábuas
de clausura
e derradeira solidão!

Frágeis
tão frágeis,
as rosas
são afinal
o signo fiel
do menino-coragem

que solta amarras
e grilhões

em busca da liberdade

É terrível
o momento
em que o sorriso
já saudade
desceu à Natureza

valeu
o perfume das rosas
inundou a multidão
a aldeia inteira
à volta

eternizando
o momento

requiescat in pace!
 

Paulo Luís

Sinto que o perdi! Sinto que o fui perdendo. Sinto o que todos sentem e clamam "um pedaço de mim fugiu e não volta mais!" Julgo que doravante o sol terá vergonha de brilhar e a lua de aparecer em noite de Novembro. Tudo mudou! até a vida tomou outro rumo outro sentido!